“Eis que eu vos dou um novo mandamento: amai-vos uns aos outros como eu vos amei.” (Jo 13,34).

Amar é o mesmo que dar: dar a vida, a salvação, a paz, a eternidade, a felicidade…; enfim, dar o que nós temos, somos e vivemos…dar a graça em toda a sua plenitude; dar a satisfação, a realização, a santificação. Para São João amar é dar a devida obediência aos santos mandamentos da Lei de Deus (Cf.1Jo 5,3) e isso é sinônimo de plena comunhão com a vontade divina e constitui a nossa verdadeira liberdade, pois, ser livre é escolher o Bem o Sumo Bem e o Sumo Bem é Deus. E ninguém ama a Deus e ao próximo se não guarda os Seus Mandamentos e não sabe doar-se. Os Sete Sacramentos da Igreja são essa expressão doadora de Deus.

A palavra Sacramento significa: sinal sagrando onde Deus opera diretamente realizando o seu Eterno Plano de Amor, ou seja, é Deus mesmo fazendo a Sua Obra por meio destes Sinais Sagrados. Na verdade os Sacramentos são os fundamentos da vida e da fé cristãs. Eles foram instituídos pelo próprio Cristo, assim designados: Batismo: “Toda a autoridade me foi dada no céu e sobre a terra. Ide, pois; de todas as nações fazei discípulos, batizando-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo”. (Mt 18b-19).

Confirmação: “Chegando em Éfeso Paulo encontrou alguns discípulos e lhes perguntou: ‘Recebestes o Espírito Santo quando abraçastes a fé?’ – Mas eles lhe responderam: ‘Nós nem mesmo ouvimos falar do Espírito Santo!’ Paulo perguntou: ‘Então que batismo recebestes?’ Eles responderam: ‘O batismo de João’. Paulo continuou: ‘João ministrava um batismo de conversão e pedia ao povo que cresse naquele que viria depois dele, isto é, em Jesus’. Eles o escutaram e receberam o batismo em nome de Jesus. Paulo lhes impôs as mãos, e o Espírito Santo veio sobre eles: falavam em línguas e profetizavam”. (At 19,1b-8).

Eucaristia: “Durante a refeição, Jesus tomou o pão e, depois de ter pronunciado a benção, ele o partiu; depois, dando-o aos discípulos, disse: ‘Tomai, comei, isto é o meu corpo’. A seguir, tomou uma taça e, depois de ter dado graças, deu-a a eles, dizendo: ‘Bebei dela todos, pois isto é o meu sangue, o sangue da Aliança, derramado em prol da multidão, para o perdão dos pecados’”. (Mt 26,26-28).

Penitência: “Então Jesus lhes disse de novo: ‘A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, assim também eu vos envio’. Tendo assim falado, soprou sobre eles e lhes disse: ‘Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados. A quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos’”. (Jo 20,21-23).

Unção dos Enfermos: “Jesus chama os Doze. E começou a enviá-los dois a dois, dando-lhes autoridade sobre os espíritos impuros. Eles partiram e proclamaram que era preciso converter-se. Expulsavam muitos demônios, faziam unções com óleo em muitos doentes e os curavam”. (Mc 6,7.12-13).

Ordem: “Jesus sobe à montanha e chama aqueles que Ele queria. ‘Com efeito, há eunucos que nasceram assim do seio materno; há eunucos que foram feitos pelos homens; e há os que se tornaram eunucos por amor ao Reino dos céus. Quem puder compreender compreenda’”. (Mc 3,13a ;Mt 19,12).

Matrimônio: “Eis que o homem deixará seu pai e sua mãe e se ligará à sua mulher, e os dois se tornarão uma só carne”. (Gn 1,27). “Assim, eles não são mais dois, mas uma só carne. Não separe, pois, o homem o que Deus uniu!” (Mt 19,6).

Caríssimos irmãos e irmãs, “os sete sacramentos atingem todas as etapas e todos os momentos importantes da vida do cristão: dão à vida de fé do cristão origem e crescimento, cura e missão. Nisto existe certa semelhança entre as etapas da vida natural e as da vida espiritual”. (CIC).

Paz e Bem!

Anúncios