Segunda-feira da 2ª semana da Quaresma

Livro de Daniel 9,4-10.

Supliquei ao Senhor, meu Deus, e fiz-lhe a minha confissão nestes termos: «Ah! Senhor, Deus grande e temível, que és fiel à Aliança e que manténs o teu favor para com os que te amam e guardam os teus mandamentos. Todos nós pecámos, prevaricámos, praticámos a iniquidade, fomos revoltosos, afastámo-nos dos teus mandamentos e das tuas leis. Não escutámos os teus servos, os profetas, que falaram em teu nome aos nossos reis, aos nossos chefes, aos nossos pais e a todo o povo da nação.

Para ti, Senhor, a justiça; para nós, a infâmia, como é hoje para as gentes de Judá, para os habitantes de Jerusalém e para todo o Israel, para aqueles que estão perto e aqueles que estão longe, em todos os países por onde os espalhaste, em consequência das iniquidades que cometeram contra ti. Sim, ó Senhor, para nós a vergonha, para os nossos reis, para os nossos chefes, para os nossos pais, porque pecámos contra ti.

No Senhor, nosso Deus, a misericórdia e o perdão, pois nos revoltámos contra Ele. Recusámos escutar a voz do Senhor, nosso Deus; não seguimos as leis que nos propunha pela boca dos seus servos, os profetas.

Livro de Salmos 79,8.9.11.13.

— O Senhor não nos trata como exigem nossas faltas.

— Não lembreis as nossas culpas do passado, mas venha logo sobre nós vossa bondade, pois estamos humilhados em extremo.

— Ajudai-nos, nosso Deus e Salvador! Por vosso nome e vossa glória, libertai-nos! Por vosso nome, perdoai nossos pecados!

— Até vós chegue o gemido dos cativos: libertai com vosso braço poderoso os que foram condenados a morrer!

— Quanto a nós, vosso rebanho e vosso povo, celebraremos vosso nome para sempre, de geração em geração vos louvaremos.

Evangelho segundo S. Lucas 6,36-38.

Sede misericordiosos como o vosso Pai é misericordioso.» «Não julgueis e não sereis julgados; não condeneis e não sereis condenados; perdoai e sereis perdoados. Dai e ser-vos-á dado: uma boa medida, cheia, recalcada, transbordante será lançada no vosso regaço. A medida que usardes com os outros será usada convosco.»

Comentário ao Evangelho do dia feito por
São Clemente de Roma, Papa entre os anos 90 e 100, aproximadamente
Carta aos Coríntios, 49-50 (trad. AELF rev.)

«Sede misericordiosos como o vosso Pai»

Quem tem amor em Cristo, cumpra os mandamentos de Cristo. Quem poderá explicar em que consiste o vínculo do amor de Deus? Quem será capaz de exprimir a grandiosidade de sua beleza? As alturas aonde o amor nos conduz são indizíveis. O amor une-nos a Deus; ele «cobre uma multidão de pecados» (1Ped 4,8). […]

Foi no amor que o Senhor nos fez vir até Si. Foi por causa de Seu amor por nós, que Jesus Cristo Nosso Senhor deu o Seu sangue por nós, segundo o desígnio de Deus, oferecendo a Sua carne pela nossa carne, a Sua vida pelas nossas vidas.

Vede, caríssimos, como o amor é qualquer coisa de grandioso e admirável; é impossível explicar a sua perfeição. Quem poderá alcançá-lo, senão aqueles que Deus tornou dignos disso? Rezemos, portanto, e supliquemos a sua misericórdia, a fim de nos encontrarmos no amor, sem fazer acepção de pessoas, irrepreensíveis.

Desde Adão até aos nossos dias, todas as gerações desapareceram; mas aqueles que, pela graça de Deus, se tornaram perfeitos no amor permanecem no lugar dos santos, que se tornarão manifestos quando Cristo aparecer no seu Reino. […]

Somos felizes, caríssimos, se praticamos os mandamentos de Deus na concórdia que vem do amor, a fim de que, pelo amor, os nossos pecados sejam perdoados.

Paz e Bem!

Anúncios