Ser imaculada é ser totalmente consagrada a Deus; é provar a essência de Sua natureza divina ainda nessa nossa naturalidade; é viver, por desígnio do Senhor, a realidade do céu aqui na terra in natura, ternura de um Deus apaixonado que nos quer para Si. Assim o Senhor realizou aos nossos olhos, por meio de Maria Santíssima, sua filha predileta, seu Eterno Plano de Amor para conosco e nos fazer entender que somos mais do que aparentamos ser.

Ser imaculada é também ser conduzida pelo Espírito Santo em todos os sentidos; é tornar-se encanto dos olhos do Altíssimo que ao contemplar, pelo Anjo Gabriel, sua obra prima restaurada em sua originalidade, expressou-se: “Ave gratia plena” (salve aquela que tem a plenitude da graça), ao que a virgem respondeu humildemente: “Eis aqui a escrava do Senhor, faça-se em mim segundo a vossa vontade”. E nesse Fiat (faça-se), Deus mesmo se fez Carne pelo Espírito Santo e habitou o seio da Virgem Mãe e quis habitar no meio de nós para nos resgatar definitivamente.

Vejamos ainda mais os desenlaces de tamanha graça: Conta-se nos anais dos ditos franciscanos (século XIII), que os dominicanos não defendiam ainda a verdade referente à Imaculada Concepção de Maria Santíssima tanto quanto nós franciscanos. Então, um belo dia em que o Santo Padre, reuniu a nata dos teólogos da época para um debate no Vaticano sobre essa verdade, pois <span style="font-style: italic;">[desde o cristianismo primitivo diversos Padres da Igreja defenderam a Imaculada Conceição da Virgem Maria, tanto no Oriente como no Ocidente. Os escritos cristãos do século II relatam a doutrina, concebendo Maria como a "Nova Eva", ao lado de Jesus, o "Novo Adão"].  Outro exemplo, no século IV, Efrém da Síria (306-373), diácono, teólogo e compositor de hinos, propunha que só Jesus Cristo e Maria são limpos e puros de toda a mancha do pecado. (*)

Então, um dos teólogos franciscano, chamado Frei João Duns Scotus, firmemente convicto desse dom especial de Deus à Santíssima Virgem Maria, dirigiu-se para a sala onde haveria o referido debate, mas antes, passou diante da imagem da Virgem e fez-lhe uma oração pedindo que Maria intercedesse por seus argumentos diante dos demais teólogos, ao que a imagem deu-lhe um sinal inclinando a cabeça em sua direção, o devoto frade então sentiu nesse sinal a confirmação de que o seu propósito era, de fato, a vontade de Deus e prosseguiu no seu intento

Postos os argumentos contrários à imaculada conceição; o humilde frade franciscano por sua vez expressou seu argumento favorável por meio de perguntas: Deus pode realizar esse ato? Ao que todos concordaram. E continuou: Deus quis em vista de Seu Filho Jesus realizar tal feito? Certamente quis, responderam. Ao que o humilde frade emendou: Então Deus fez. E assim encerrou o debate, tendo em favor de seu sutil argumento grande mérito. Até os dias de hoje o Beato João Duns Scotus é chamado nos meios acadêmicos franciscanos o “Doutor Sutil”. Em vista deste feito os frades Dominicanos se comprometeram, naquela época, lavarem os pratos dos frades Franciscanos, nos conventos mais próximos, todo dia oito de Dezembro.

De fato, a festa da Imaculada Conceição, comemorada em 8 de dezembro, foi definida como uma festa universal em 1476 pelo Papa franciscano Sisto IV. A Imaculada Conceição foi solenemente definida como dogma pelo Papa Pio IX em sua bula Ineffabilis Deus em 8 de Dezembro de 1854. Assim se expressou o Santo Padre na proclamação do dogma:

Em honra da santa e indivisa Trindade, para decoro e ornamento da Virgem Mãe de Deus, para exaltação da fé católica, e para incremento da religião cristã, com a autoridade de Nosso Senhor Jesus Cristo, dos bem-aventurados Apóstolos Pedro e Paulo, e com a nossa, declaramos, pronunciamos e definimos a doutrina que sustenta que a beatíssima Virgem Maria, no primeiro instante de sua conceição, por singular graça e privilégio de Deus onipotente, em vista dos méritos de Jesus Cristo, Salvador do gênero humano, foi preservada imune de toda mancha de pecado original, essa doutrina foi revelada por Deus e, portanto, deve ser sólida e constantemente crida por todos os fiéis”.

LORDES (*)

Em 1858 Bernadete Soubirous, afirmou ter visto uma aparição que se autodenominou de "Imaculada Conceição" na localidade de Lourdes, diocese de Tarbes na França. O caso foi submetido às autoridades civis locais e eclesiásticas, após o que o bispo de Tarbes deu por confirmadas as aparições como sendo da Virgem Maria. As autoridades civis francesas se viram impotentes para impedir a devoção de milhares de peregrinos na época, atualmente Lourdes se transformou num lugar de peregrinação internacional de milhões de católicos devotos da Virgem Maria.

No dia 8 de dezembro de 2007 o papa Bento XVI, após a recitação do Angelus, comentou que nesta festa solene se recorda que "o mistério da graça de Deus envolveu desde o primeiro instante de sua existência à criatura destinada a converter-se na Mãe do Redentor, preservando-a do contágio com o pecado original. Ao contemplá-la, reconhecemos a altura e a beleza do projeto de Deus para cada ser humano: chegar a ser santos e imaculados no amor (Efésios 1, 4), a imagem de nosso Criador."

Paz e Bem!

Frei Fernando,OFMConv.

(*)http://pt.wikipedia.org/wiki/Imaculada_Conceição (07/12/2009).

Anúncios