APENAS UM SOPRO, NADA ALÉM DE UM SOPRO…

 

Além de mim, por mim mesmo…

Nada sou, Senhor, nada…

O nada que minhas malfadadas entranhas intelectuais…

teimam em tecer por nunca entender tua sabedoria eterna…

O que é isso? Podem até perguntar…

É o que sou por mim mesmo…

É o que somos sem Deus…

 

Muitas vezes do alto de nossa soberba…

Relegamos a fé,

por nos atermos seguros em nossa liberdade de existir no tempo…

Mas, que feitos fizemos para isso?

Na verdade não passamos de um respiro momentâneo…

Ou seja, apenas um sopro, nada além de um sopro…

Mesmo assim, prepotentemente nos exaltamos…

como se donos da vida fossemos…

 

Ah, meu Deus…

Que faço eu para sair desse marasmo que vivo?

De imediato sentencio…

Crer no teu Infinito Amor…

Despojar-me de tudo que sou…

e de tudo que me prende a este mundo…

E deixar de olhar a dor como punição…

e vê-la mais como sintoma,

como prevenção que evita um mal maior…

 

Desse modo,

farei tudo de bom para que somente o bem aconteça…

E prevaleça sobre todo mal…

Mal advindo daqueles que só enxergam a si mesmos…

e suas riquezas materiais acumuladas…

Fazendo-os compreender que tais seguranças são desastradas…

Porque os verdadeiros fundamentos da vida…

Não são os fugazes valores temporais,

mas os valores eternos que infundistes em cada um de nós por tua graça…

Porque quando cultivamos esses valores com nosso viver…

multiplicamos os teus favores por toda a terra e para todo ser vivente…

Visto que nos comportamos como teus filhos muito amados…

Integrandos ao habitat natural sem praticar mal algum…

 

Ó Bondade Esplendida de Deus…

Que nos concedeu tão brilhantes valores…

Amor, castidade…

Desapego, honestidade…

Justiça, inocência…

Fidelidade, união…

Bondade, humildade…

Obediência, salvação…

Paz, alegria…

Felicidade, ressurreição…

E tudo aquilo que nos faz ser santos…

Ou seja, que nos faz viver aqui e eternamente…

na tua presença Senhor…

 

Paz e Bem!

Frei Fernando,OFMConv.