MARIA NA IDADE MÉDIA

A Idade Média teve início na Europa com as invasões germânicas (bárbaras), no século V, sobre o Império Romano do Ocidente. Essa época estende-se até o século XV, com a retomada comercial e o renascimento urbano. Na Idade Média, a Igreja detinha o poder espiritual e influenciava o modo de pensar, a psicologia e as formas de comportamento. Os monges viviam em mosteiros e eram responsáveis pela proteção espiritual da sociedade. Passavam grande parte do tempo rezando e copiando livros e a Bíblia. A população, na sua maioria analfabeta, tinha na cultura dos monges em volta dos mosteiros a sua formação catequética e intelectual, de tal forma que em volta dos mosteiros surgiram as grandes universidades.

A evangelização dessa época é marcada pela arte visual e o cântico, pois era a forma mais simples e direta de evangelização. As pinturas, esculturas e livros eram distinguidos pela temática religiosa. Os vitrais das igrejas traziam cenas bíblicas, pois era uma forma didática e visual de transmitir o evangelho para uma população quase toda formada por analfabetos. Neste contexto, o papa São Gregório (papa entre os anos de 590 e 604) criou o canto gregoriano. Também uma forma linda e agradável de transmitir a fé através da música.

Nessa época era comum a devoção à Virgem Maria em seus ícones e imagens, assim, a Virgem era sempre representada com Jesus em seus braços, mostrando, com isso, a forte ligação entre o Filho de Deus e sua Mãe, pois, já antes o Concílio de Éfeso (431), decretara dogmaticamente a doutrina da Theotokos (Mãe de Deus), que hoje a Igreja celebra no primeiro dia do ano juntamente com o dia mundial da paz.

Com o surgimento das Ordens Mendicantes (franciscanos, dominicanos, carmelitas e agostinianos), nos séculos XI e XIII, a devoção mariana cresceu consideravelmente, pois, estes seguiam de cidade em cidade, especialmente franciscanos e dominicanos, ensinando os cidadãos a seguirem o exemplo da Virgem Maria no seguimento de Nosso Senhor Jesus. Data da Idade Média a devoção do Santo Rosário de nossa Senhora. “Segundo uma [antiga] tradição a Igreja católica recebeu o Rosário em sua forma atual em 1206 quando a Virgem teria aparecido a Santo Domingo de Gusmão e o entregou como uma arma poderosa para a conversão dos hereges e outros pecadores daquele tempo. Desde então sua devoção se propagou rapidamente em todo o mundo com incríveis e milagrosos resultados”. (*)

Nosso Seráfico pai, São Francisco de Assis, também muito contribuiu para a devoção mariana com o seu exemplo de fé na Mãe de Deus e das Ordens que fundara. “Seu amor para com a bem-aventurada Mãe de Cristo, a puríssima Virgem Maria, era de fato indizível, pois nascia em seu coração quando considerava que ela havia transformado em irmão nosso o próprio Rei e Senhor da glória e que por ela havíamos merecido alcançar a divina misericórdia. Em Maria, depois de Cristo, punha toda sua confiança. Por isso, a escolheu para advogada sua e de seus irmãos e jejuava com muita devoção em honra dela desde a festa dos apóstolos Pedro e Paulo até à festa da Assunção.” (LM 9,3,1-2). Logo, seu amor e devoção à Santíssima Virgem, tornou-se uma fonte de exemplo para toda a Ordem e os fiéis em geral que o escutava e seguia seus passos devocionais fielmente.

Não podemos esquecer a nossa querida e amada Coroa Franciscana, que trata da oração em honra das sete alegrias que Maria Santíssima viveu aqui na terra. Segundo o irmão Luke Wedding,(**) historiador franciscano, essa devoção começou em 1422 com um jovem noviço muito piedoso que por uma visão recebeu a incumbência de divulgá-la a pedido da Mãe do Senhor, e logo se difundiu tal devoção por toda a Família Franciscana. Esta devoção é favorecida com muitas indulgências concedidas pelos Papas, são ganhas pelos Franciscanos e os fiéis devotos que rezarem a Coroa Franciscana.

Paz e Bem!

Frei Fernando,OFMConv.

(*) http://pt.wikipedia.org/wiki/Santo_Ros%C3%A1rio (14/02/2011).

(**)http://www.pvsantoantonio.com.br/oracaocatolica/corm10.html (14/02/2011).


Anúncios