CRÔNICAS DE MINHA ALMA: SIM, SENHOR, EU ESPERO…

Senhor, nada tenho, porque tudo o tenho um dia não terei mais, até mesmo o que sou agora, sinto que só o sou por causa de tua misericórdia. Portanto, não posso e não quero abusar da aparente liberdade momentânea que tenho, para práticas fúteis ou outras “façanhas” malfadadas que tanto tem tirado definitivamente a vida de milhares e milhões. Aliás, São Paulo já nos havia alertado sobre isto: “Não vos enganeis: de Deus não se zomba. O que o homem semeia, isso mesmo colherá. Quem semeia na carne, da carne colherá a corrupção; quem semeia no Espírito, do Espírito colherá a vida eterna”. (Gl 6,7-8).

Todos nós primamos por segurança, no entanto, no mais das vezes, nos expomos aos piores perigos porque nos afastamos de Ti, Senhor, pelos pecados praticados. Ainda assim, muitos se acham donos da vida como se a vida fosse propriedade permanente de qualquer criatura, ou seja, como se não a tivéssemos recebido. Ora, mas isto não passa de autossuficiência, arrogância ou um blefe barato, porque se temos o que iremos perder naturalmente, como se achar acima desta perda? Na verdade, não podemos esquecer, só Deus tem todo poder infinitamente, e isto fica evidente por sua Providência Divina que a tudo sustenta e governa, a despeito dos incrédulos, indiferentes e maléficos negarem essa verdade.

O ser humano foi criado para o bem infinito, e quando não vivemos esse desígnio do criador a nosso respeito, a vida perde todo sentido de ser e os homens passam a viver apenas em função da temporalidade à espera da morte e nada mais. Todavia, no âmago de todos nós existe um desejo como que permanente de vida, por isso, a morte, quando não a encaramos com naturalidade, torna-se uma espécie de companhia indesejada, a tal ponto que nem queremos pensar nela, mesmo convivendo pacificamente com ela a todo momento.

Então, haverá solução para essa condição de nossa brevidade existencial? Sim, pois o Filho de Deus, Jesus Cristo, pôs fim à tragédia do pecado, ao reinado das trevas e ao poder da morte. Escutemos o Senhor: “Não se perturbe o vosso coração. Credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Não fora assim, e eu vos teria dito; pois vou preparar-vos um lugar. Depois de ir e vos preparar um lugar, voltarei e tomar-vos-ei comigo, para que, onde eu estou, também vós estejais. E vós conheceis o caminho para ir aonde vou. Disse-lhe Tomé: Senhor, não sabemos para onde vais. Como podemos conhecer o caminho? Jesus lhe respondeu: Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim”. (Jo 14,1-6).

Assim, ouvindo o Senhor, digo: sem essa esperança, não há salvação, não há solução alguma para a vida. Pois o ser humano sem a esperança da ressurreição é o mesmo que um cadáver ambulante, existe, mas só por enquanto. Daí, Senhor a necessidade de te amar, de te querer, de ti glorificar, de te dar tudo o que sou, sinto e vivo neste mundo, como resposta por me teres criado para o louvor de tua glória. Sim, Senhor, espero em ti a ressurreição dos mortos e a vida do mundo que há de vir, porque já a experimento aqui, por te amar acima de todas as coisas e de mim mesmo, pois, assim como disse São Paulo, o digo também: “Na realidade, pela fé eu morri para a lei, a fim de viver para Deus. Estou pregado à cruz de Cristo. Eu vivo, mas já não sou eu; é Cristo que vive em mim. A minha vida presente, na carne, eu a vivo na fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim”. (Gl 2,19-20).

E qual é a tua resposta, Senhor? “Eu sou o pão da vida: aquele que vem a mim não terá fome, e aquele que crê em mim jamais terá sede. Este é o pão que desceu do céu. Quem come deste pão viverá eternamente”. (Jo 6,35.58ac). “Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que esteja morto, viverá. E todo aquele que vive e crê em mim, jamais morrerá. Crês nisto? Respondeu ela: Sim, Senhor. Eu creio que tu és o Cristo, o Filho de Deus, aquele que devia vir ao mundo.”. (Jo 11,25-27). É por isso que espero em Ti, Senhor, até o meu último instante aqui, onde Te encontrarei face a face, para o devir que preparastes como herança eterna, para todos que te amam e te seguem.

Paz e Bem!

Frei Fernando,OFMConv.