AS INVOCAÇÕES DA LADAINHA DE NOSSA SENHORA (XX)

Casa de ouro

A casa é o lugar do aconchego onde nasce e se estabelece a família, lugar comum dos que se amam. Lugar de acolhida harmoniosa, onde a felicidade tem sua origem e crescimento a partir da unidade dos laços familiares. Deus, pois, começou a sua obra por meio de uma família, com intenção familiar definitiva; e pôs tudo que criou sob a responsabilidade dessa primeira família, que ele mesmo abençoou para que se multiplicasse ininterruptamente e vivesse sempre em sua presença até onde seu desígnio de amor o determinasse.

Por sua vez, para os Antigos Hebreus, o ouro era o metal mais precioso e puro; e essa preciosidade e pureza eles associavam à sua fé em Deus, e por ela reconheciam Javé como o único Deus e Senhor de sua vida e de todas as coisas. A Ele prestavam culto de louvor e adoração, pondo Nele toda sua confiança e esperança na certeza de que Deus jamais lhes abandonaria, porque é fiel com aqueles que a Ele se entregam e confiam esperando em seu amor. Por isso, procuravam ser fiéis em tudo, pois com Ele tinham feito aliança por meio de Moisés e Aarão no deserto a caminho da terra prometida.

De fato, Maria Santíssima representa a fé mais pura; ela é como o ouro que nunca se estraga e que se mantém puro sempre, sobre todos os outros metais existentes, isto é, sobre todos nós. Ela é a Casa de Ouro que acolhe Deus com toda a sua grandeza; nela, o próprio Deus se torna um de nós e dar início a grande redenção prometida a Abraão e seus descendentes, e a toda humanidade gerada no batismo pelo Espírito Santo enviado por Jesus Cristo, Seu Filho, nascido de Virgem Mãe.

Arca da aliança

Segundo o livro do Êxodo (cf. Ex 25,10-22), a Arca da Aliança, foi confeccionada sob a orientação de Moisés, que por instruções divinas indicou seu tamanho e forma. Nela foram guardadas as duas tábuas da lei, contendo os dez mandamentos que o Senhor tinha dado a Moisés na montanha; a vara de Aarão com a qual fez prodígios e portentos diante do Faraó e seus sequazes; e um vaso contendo o maná, que foi o alimento que Javé fez cair com o sereno sobre as areias do deserto para a multidão faminta durante os quarenta anos do êxodo até a terra prometida. Estas três coisas representavam a aliança de Deus com o povo de Israel. Para o povo Judeu a Arca da Aliança não era uma simples representação, mas a própria presença de Deus no meio deles.

A Arca era parte integrante do Tabernáculo do Altíssimo. Ela repousava sobre o altar, era de madeira, coberta de ouro, com uma coroa de ouro ao lado. Somente os sacerdotes levitas poderiam transportar e tocar nela; e apenas o sumo-sacerdote, uma vez por ano, no dia da expiação, quando a Luz de Shekiná (da presença de Deus) se manifestava, entrava no santíssimo do templo.

Com efeito, Maria Santíssima é a Arca da Nova Aliança de Deus com a humanidade, o Sacrário vivo de Deus; e Jesus, Sumo Sacerdote da Nova Aliança, é o Verbo Encarnado, ou seja, a Palavra de Deus ela mesma, que se fez Carne no seio virginal de Maria e habitou no meio de nós, povo novo de Deus a caminho da terra prometida, o Reino dos Céus. Por ele, o Pai realizou prodígios e portentos mostrando a revelação de sua glória no meio dos homens, presentes nas curas e milagres realizados por Jesus; por fim, Ele se nos deu como alimento de salvação eterna na Eucaristia, “Pão vivo que desceu dos céus”. Portanto, a mãe de Deus e nossa mãe, Arca da Nova Aliança, portadora de todos estes sinais, se faz presente sempre em nossa vida com seu Filho, Jesus Cristo, nosso Senhor. Amém!

Porta do Céu

Escutando a canção “Porta do Céu” do Pe Fábio de Melo, ouso reproduzir aqui sua poesia, mostrando ao mundo a beleza de ter Maria Santíssima como mãe e senhora nossa.

Se a dor te toma por demais
Se o mundo não te crê jamais
Sabe, pois, que há alguém por ti
Orando, intercedendo, há sim!
Puro esplendor e amor de mãe
Sacrário vivo de Deus Pai
Em ti Maria eu encontrei
A vida que pra mim eu quis

Imaginei como seria o paraíso de Jesus
Com paz e harmonia em nossos corações
Pra sempre então seria eterno em louvor
Aquele que um dia veio e nos salvou

Ó Mãe santíssima, me leva a Deus.
E para sempre exultarei com cantos
Tenros de louvor, buscando a salvação.
E nessa hora em que eu te rogo aqui
Dentro em meu peito está vontade
De te conhecer, Maria tu que és porta do céu.

Paz e Bem!

Frei Fernando,OFMConv.

FREI FERNANDO, VIDA, FÉ E POESIA by Frei Fernando,OFMConv. is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License.