o tempo

TUDO PASSA, SOMENTE A VONTADE DE DEUS PERMANECE PARA SEMPRE…

Sem dúvida nossos dias estão contados, pois as duas maiores certezas de nossa vida é que estamos vivos naturalmente, mas haveremos de morrer; todavia, a obra de Deus é eterna, pois Ele nos criou “à sua imagem e semelhança”, por isso, nos enviou seu Filho para nos resgatar do precipício da morte no qual todos, cedo ou tarde, cairemos. É como está escrito: “Todos caminham para um mesmo lugar, todos saem do pó e para o pó voltam”. (Ecl 3,20). Mas, não é o fim, mesmo sabendo que morremos naturalmente, alimentamos a esperança redentora que o Filho de Deus, nosso Senhor Jesus Cristo, infundiu em nossos corações em seu infinito amor (cf. Rom 5,1-11).

Realmente, Deus nos fez na contingência, porém, com alma imortal capaz de conhecê-lo e amá-lo e permanecer imersa Nele. Não temos dúvidas de nossos limites, todavia, para além do limite que nos cerca, existe o ilimitado divino que nos atrai a todo instante, é por isso que aqui não ficamos por muito tempo, porque nada está parado, mas em constante movimento rumo ao ilimitado de Deus que nos concede todas as graças necessárias para que no dia eterno O encontremos face a Face.

De fato, somos portadores das maiores e mais sublimes promessas (cf. Lc 12, 32-24; 1Cor 2,9) que nos alegra imensamente, não obstante, os perigos que nos cerca neste mundo. Pois, além dos perigos naturais; sofremos as tentações sobrenaturais capazes de precipitar na tristeza e na morte todo e qualquer ser humano que por elas se deixa prender. Porém, “Não vos sobreveio tentação alguma que ultrapassasse as forças humanas. Deus é fiel: não permitirá que sejais tentados além das vossas forças, mas com a tentação ele vos dará os meios de suportá-la e sairdes dela”. (1Cor 10,13).

Com efeito, assim nos ensina São Paulo: “Irmãos: o tempo é breve. O que importa é que os que têm mulher vivam como se a não tivessem; os que choram, como se não chorassem; os que se alegram, como se não se alegrassem; os que compram, como se não possuíssem; os que usam deste mundo, como se dele não usassem. Porque a figura deste mundo passa”. (1Cor 7,29-31). E ainda: “Sem dúvida, grande fonte de lucro é a piedade, porém quando acompanhada de espírito de desprendimento. Porque nada trouxemos ao mundo, como tampouco nada poderemos levar. Tendo alimento e vestuário, contentemo-nos com isto. Aqueles que ambicionam tornar-se ricos caem nas armadilhas do demônio e em muitos desejos insensatos e nocivos, que precipitam os homens no abismo da ruína e da perdição. Porque a raiz de todos os males é o amor ao dinheiro. Acossados pela cobiça, alguns se desviaram da fé e se enredaram em muitas aflições”. (1Tim 6,6-10).

Portanto, tudo passa neste mundo, somente a vontade de Deus permanece para sempre; felizes são aqueles que decidem viver em tudo conforme a vontade do Altíssimo (cf. Col 3,17), porque é de sua vontade que brotam todas as fontes da vida. Por fim, escutemos o Senhor: “Em seguida, Jesus disse a seus discípulos: Se alguém quiser vir comigo, renuncie-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me. Porque aquele que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; mas aquele que tiver sacrificado a sua vida por minha causa, recobrá-la-á. Que servirá a um homem ganhar o mundo inteiro, se vem a prejudicar a sua vida? Ou que dará um homem em troca de sua vida?… Porque o Filho do Homem há de vir na glória de seu Pai com seus anjos, e então recompensará a cada um segundo suas obras”. (Mt 16,24-27).

Paz e Bem! Frei Fernando Maria,OFMConv.

Creative Commons License
FREI FERNANDO, VIDA, FÉ E POESIA by Frei Fernando,OFMConv. is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License.