pela paz

POR QUE EXISTE O MAL NO MUNDO? É POSSÍVEL UM MUNDO SEM O MAL?

O “mistério da iniquidade” ou o mal que está no mundo, ao que parece, quer torna-se uma espécie de obstáculo para um melhor entendimento da fé, do amor, da verdade, da bondade e do justo relacionamento da humanidade com Deus. Ora, mas isto se dá porque racionalmente não entendemos porque Deus, que se nos revela em suas obras, tão magnânimo e perfeito, permite que o mal, como que se sobressaia, à margem de sua vontade e perfeição. De fato, se procurarmos por nós mesmos e em nós mesmos respostas para as indagações referentes ao mal, nunca chegaremos ao entendimento desse intento sem acreditarmos que o Sumo Bem, que é Deus, vence sempre todo mal existe. Logo, precisamos nos manter unidos ao Senhor, por meio de Seu Filho, Jesus Cristo, que é Deus-conosco, para vencermos o mal que está no mundo, e extirpá-lo totalmente pela raiz.

Certa feita, uma jovem me procurou e disse: “Frei, eu não creio em Deus, e daí?”. Ao que respondi: querida irmã, seja sempre uma pessoa pura de corpo e alma; nunca minta nem faça o mal a ninguém, perdoe a todos que lhe ofenderam; seja humilde e nunca uma pessoa arrogante; seja justa com todos e faça o bem a todos; não julgue e não condene ninguém. Depois de ouvir-me, ela disse: “Ah! Frei, mas isso é muito difícil de praticar”. Então, jovem, lhe respondi: é por isso que você não crê em Deus. Pois, crer em Deus é amá-lo acima de todas as coisas, é obedecê-lo em tudo; é tratar bem a todos, até mesmo os inimigos; é seguir os passos de Jesus todos os dias aonde Ele nos conduzir; é ser fiel ao Senhor crendo nele firmemente; é orar sempre sem jamais deixar de fazê-lo.

Caríssimos, as Sagradas Escrituras nos dão milhões de razões para permanecermos fiéis e inabaláveis na luta contra o mal. aliás, elas nos dão todas as razões necessárias para isto. Porque, na verdade, estamos em meio a uma batalha espiritual tremenda, a mesma que Jesus travou contra os seus algozes e nos ensinou como lutar para vencê-los, sem jamais nos afastarmos do amor e da misericórdia do Senhor que nos mantêm seguros na vida por sua presença e por suas graças inefáveis que tanto precisamos nessa luta. Vejamos: Deus nos criou “à sua imagem e semelhança” para vivermos em comunhão com Ele, o Sumo Bem de nossa vida (cf. Gen 2,4b-17). Assim compreendemos que Deus nos criou para o bem e somente para o bem; criou-nos por amor e somente para o amor, e nunca para o ódio ou para o mal (cf. Mt 5,44-48). E mesmo os homens pecando e se afastando dos desígnios do Senhor, Ele não nos deixou à mercê de nossos pecados, mas enviou seu Filho amado, Jesus Cristo, para nos resgatar e voltarmos ao seu projeto original, um mundo sem pecado onde a verdade, o amor, a bondade, a paz, a felicidade permanecerá para sempre; e o mal que hora ocorre à margem de sua vontade, não existirá mais nem mesmo na lembrança dos redimidos. “É como está escrito: “Coisas que os olhos não viram, nem os ouvidos ouviram, nem o coração humano imaginou” (Is 64,4), tais são os bens que Deus tem preparado para aqueles que o amam”. (1Cor 2,9).

Por isso, nunca dê atenção ao pecado de ninguém, mas permaneça na comunhão com o Senhor pela obediência aos seus mandamentos, pela vida de oração, principalmente pela comunhão eucarística e por uma vida sem pecados, ou seja, repleta das virtudes eternas. Assim Ele se faz presente sempre aonde quer que estejamos e com quem quer que estejamos; pois deligar-se de Deus, pela desobediência aos seus mandamentos, é dar chance ao mal para que este nos destrua, e isso não nos convém. Com efeito, escreveu São Paulo: “Acaso não sabeis que os injustos não hão de possuir o Reino de Deus? Não vos enganeis: nem os impuros, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os devassos, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os difamadores, nem os assaltantes hão de possuir o Reino de Deus. Ao menos alguns de vós têm sido isso. Mas fostes lavados, mas fostes santificados, mas fostes justificados, em nome do Senhor Jesus Cristo e pelo Espírito de nosso Deus. Tudo me é permitido, mas nem tudo convém. Tudo me é permitido, mas eu não me deixarei dominar por coisa alguma”. (1Cor 6,9-12).

Portanto, posso afirmar sem medo de errar, tudo o que Deus criou é bom, belo e perfeito. Não viver o que somos é se pôr à margem da vontade de divina, é desligar-se do Senhor por uma vida de pecados e desiquilíbrios, pois quando pecamos somos vítimas de nossos próprios erros e desenganos, porque pecar é não amar a Deus e muito menos aos demais seres humanos e outas suas criaturas. Enfim, agora podemos responder por que o mal existe no mundo; porque, mesmo sendo uma obra prima de Deus, o mal decidiu ser mal, isto é, desligar-se de Deus, e levar consigo milhões de seres angelicais e humanos que a ele se aliam pela prática nefasta dos mesmos erros que cometeu, afastando-se totalmente de Deus.

Ora, mas como o mal é mal, por si mesmo se destrói. Quanto à essa terra que o encerra, na verdade, está destinada ao fogo eterno que renovará todas as coisas. É como está escrito: “Entretanto, virá o dia do Senhor como ladrão. Naquele dia os céus passarão com ruído, os elementos abrasados se dissolverão, e será consumida a terra com todas as obras que ela contém. Uma vez que todas estas coisas se hão de desagregar, considerai qual deve ser a santidade de vossa vida e de vossa piedade, enquanto esperais e apressais o dia de Deus, esse dia em que se hão de dissolver os céus inflamados e se hão de fundir os elementos abrasados! Nós, porém, segundo sua promessa, esperamos novos céus e uma nova terra, nos quais habitará a justiça. Portanto, caríssimos, esperando estas coisas, esforçai-vos em ser por ele achados sem mácula e irrepreensíveis na paz”. (2Ped 3,10-14).

Paz e Bem!

Frei Fernando Maria,OFMConv.