o que eu vejo, Senhor

LEVA-ME TODO INTEIRO PARA O TEU CORAÇÃO…

Homilia atribuída a São Boaventura (1221-1274), franciscano, doutor da Igreja
Meditações sobre a Paixão do Senhor, 3

«Logo brotou sangue e água»

Aproximemo-nos do coração do dulcíssimo do Senhor Jesus, e exultaremos e regozijar-nos-emos nele. Quão bom e doce é esse coração! Ele é o tesouro escondido, a pérola preciosa, aquilo que encontramos, ó Jesus, escavando o campo do teu corpo (cf. Mt 13,44ss). Quem, pois rejeitará esta pérola? Bem pelo contrário, por ela eu darei todos os meus bens; por ela trocarei todas as minhas preocupações, todos os meus afetos. Todas as minhas inquietações, abandoná-las-ei no coração de Jesus: ele bastar-me-á e providenciará sem falta à minha subsistência.

É neste templo, neste Santo dos santos, nesta arca da aliança, que virei adorar e louvar o nome do Senhor. «Encontrei o meu coração», dizia David, «para rezar ao meu Deus» (1Cr 17,25 Vulg). Também eu encontrei o coração do meu Senhor e Rei, do meu irmão e amigo. Como poderia, pois, deixar de rezar? Sim, rezarei, porque, com firmeza o digo, o seu coração pertence-me. […]

Ó Jesus, digna-Te aceitar e escutar a minha oração. Leva-me todo inteiro para o teu coração. Ainda que a deformidade dos meus pecados me impeça de entrar nele, dado que por um amor incompreensível este coração se dilatou e alargou, Tu podes receber-me e purificar-me da minha impureza. Ó Jesus puríssimo, lava-me das minhas iniquidades a fim de que, purificado por Ti, possa habitar em teu coração todos os dias da minha vida, para ver e fazer a tua vontade. Se o teu lado foi trespassado, foi para que a entrada nos seja amplamente aberta. Se o teu coração foi ferido, foi para que, ao abrigo das agitações exteriores, possamos habitar nele. E é ainda para que, na ferida visível, vejamos a invisível ferida do amor.

Paz e Bem!

©Evangelizo.org 2001-2014