MOS_CO~1

CONSAGRADOS PARA SERMOS LUZ DO MUNDO…

Caríssimos, irmãos e irmãs, hoje farei uma pequena catequese da alma consagrada a Deus, que significa da alma iluminada pelo Espírito Santo e conduzida por Ele à plenitude da santidade, da glória de Deus. Todos nós que fomos batizados estamos percorrendo a via do Espírito para atingirmos a perfeição do amor de Deus em Cristo Jesus. E Deus nos deu o exemplo de sua Mãe, Maria Santíssima, esposa do Espírito Santo; e também o exemplo dos santos e santas, que percorreram essa mesma via, como consagrados do altíssimo, e atingiram a plenitude da santidade que todos nós almejamos.

Ser consagrados para ser luz do mundo significa: não comungarmos com as obras infrutíferas das trevas (cf. Gl 5,19-21); pelo contrário, devemos condená-las abertamente por nosso modo de ser, de pensar e de viver em Cristo Jesus, realizando em tudo a vontade de Deus Pai. Para isto precisamos deixar que a luz divina, que nos iluminou no santo batismo e permanece conosco, continue iluminando todo o nosso viver, afugentando toda tentação e todo pecado que se levanta querendo nos tirar da vida no Senhor.

Pois foi isto que São Paulo, nos ensinou quando escreveu: “Procurai o que é agradável ao Senhor, e não tenhais cumplicidade nas obras infrutíferas das trevas; pelo contrário, condenai-as abertamente. Porque as coisas que tais homens fazem ocultamente é vergonhoso até falar delas. Mas tudo isto, ao ser reprovado, torna-se manifesto pela luz. E tudo o que se manifesta deste modo torna-se luz. Por isto (a Escritura) diz: Desperta, tu que dormes! Levanta-te dentre os mortos e Cristo te iluminará (Is 26,19; 60,1)! Vigiai, pois, com cuidado sobre a vossa conduta: que ela não seja conduta de insensatos, mas de sábios que aproveitam ciosamente o tempo, pois os dias são maus. Não sejais imprudentes, mas procurai compreender qual seja a vontade de Deus”. (Ef 5,10-17).

Com efeito, eis o que diz o Senhor: “Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre uma montanha nem se acende uma luz para colocá-la debaixo do alqueire, mas sim para colocá-la sobre o candeeiro, a fim de que brilhe a todos os que estão em casa. Assim, brilhe vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem vosso Pai que está nos céus”. (Mt 5,14-16)

E confirmando essa doutrina do Senhor, eis o que escreveu São Paulo, à São Timóteo: “Tu, porém, homem de Deus, segue a justiça e a piedade, a fé e a caridade, a paciência e a mansidão. Combate o bom combate, conquista a vida eterna. Fala aquilo que convém e é conforme a sã doutrina”. (1Tm 6,11-12a; Tt 2,1).

De fato, nós fomos consagradas a Deus no santo batismo, para sermos morada permanente do Senhor já aqui na terra pelo seu Espírito Santo que habita em nós. Pois bem, foi isto que São Paulo escreveu aos Coríntios, dizendo: ”Ou Não sabeis que o vosso corpo é templo do Espírito Santo, que habita em vós, o qual recebestes de Deus e que, por isso mesmo, já não vos pertenceis? Porque fostes comprados por um grande preço [o Sangue de Cristo oferecido em seu sacrifício de cruz]. Glorificai, pois, a Deus no vosso corpo”. (1Cor 6, 19-20).

Logo perguntamos, quais são as características ou propriedades das almas consagradas à Deus? Primeira propriedade da alma consagrada a Deus: depois do santo batismo, o corpo humano passou a ser morada permanente de Deus pelo seu Espírito que reside em todos os batizados; e, assim, como Cristo ofereceu seu Corpo em Sacrifício de amor ao Pai em expiação dos nossos pecados, de igual modo devemos oferecer os nossos corpos em sacrifício vivo, santo, agradável a Deus, não nos conformando com as práticas nefastas deste mundo, mas renovando a nossa mentalidade para discernirmos qual é a vontade de Deus, o que é bom, o que lhe agrada e o que é perfeito.

E como fazemos isto? Do jeito que São Paulo ensinou: “Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos muito amados. Progredi na caridade, segundo o exemplo de Cristo, que nos amou e por nós se entregou a Deus como oferenda e sacrifício de agradável odor. Quanto à fornicação, à impureza, sob qualquer forma, ou à avareza, que disto nem se faça menção entre vós, como convém a santos. Nada de obscenidades, de conversas tolas ou levianas, porque tais coisas não convêm; em vez disto, ações de graças. Porque sabei-o bem: nenhum dissoluto, ou impuro, ou avarento – verdadeiros idólatras! – terá herança no Reino de Cristo e de Deus. E ninguém vos seduza com vãos discursos. Estes são os pecados que atraem a ira de Deus sobre os rebeldes. Não vos comprometais com eles. Outrora éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor: comportai-vos como verdadeiras luzes. Ora, o fruto da luz é bondade, justiça e verdade”. (Ef 5,1-9).

A segunda propriedade da alma consagrada a Deus é ter vida de oração: porque para nós que acreditamos no amor de Deus, oração é solução, pois tudo o que a humanidade alcançou até hoje o conseguiu por meio deste dom; é como o Senhor mesmo nos ensinou: “Em verdade, em verdade vos digo: aquele que crê em mim fará também as obras que eu faço, e fará ainda maiores do que estas, porque vou para junto do Pai. E tudo o que pedirdes ao Pai em meu nome, vo-lo farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Qualquer coisa que me pedirdes em meu nome, vo-lo farei”. (Jo 14,12-14).

Terceira propriedade da alma consagrada a Deus: a perfeita obediência às Palavras de Cristo, para permanecermos como morada definitiva da Santíssima Trindade e assim amarmos Deus no próprio Deus e termos Nele a vida eterna: “Se alguém me ama, guardará a minha palavra e meu Pai o amará, e nós viremos a ele e nele faremos nossa morada. Aquele que não me ama não guarda as minhas palavras. A palavra que tendes ouvido não é minha, mas sim do Pai que me enviou. Disse-vos estas coisas enquanto estou convosco. Mas o Paráclito, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, ensinar-vos-á todas as coisas e vos recordará tudo o que vos tenho dito”. (Jo 14,23-26).

A quarta propriedade da alma consagrada a Deus: é viver a vida sacramental. A palavra Sacramento significa: sinal sagrando onde Deus opera diretamente realizando o seu Plano de Amor para a nossa salvação, ou seja, é Deus mesmo realizando a Sua Obra por estes sinais sagrados. Com efeito, os Sacramentos são os fundamentos da vida e da fé cristãs. Em suma, “os sete sacramentos atingem todas as etapas e todos os momentos importantes da vida do cristão: dão à vida de fé do cristão, origem e crescimento, cura e missão. Nisto existe certa semelhança entre as etapas da vida natural e as da vida espiritual”. (CIC). Amém, assim seja!

Destarte, o Sacramento dos sacramentos é o Próprio Jesus no Mistério da Eucaristia, seu Corpo e Sangue, Sua Alma e Divindade, oferecidos em Sacrifício incruento em expiação dos nossos pecados e dos pecados do mundo inteiro. Então Jesus lhes disse: “Em verdade, em verdade vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós mesmos. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia. Pois a minha carne é verdadeiramente uma comida e o meu sangue, verdadeiramente uma bebida. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. Assim como o Pai que me enviou vive, e eu vivo pelo Pai, assim também aquele que comer a minha carne viverá por mim. Este é o pão que desceu do céu”. (Jo 6,53-58).

Portanto, ser consagrado a Deus é viver como filhos de Deus neste mundo, ou seja, fazendo em tudo a vontade do Senhor por palavras e por obras, como se expressou São Paulo em sua Carta aos Colossenses: “Portanto, como eleitos de Deus, santos e queridos, revesti-vos de entranhada misericórdia, de bondade, humildade, doçura, paciência. Suportai-vos uns aos outros e perdoai-vos mutuamente, toda vez que tiverdes queixa contra outrem. Como o Senhor vos perdoou, assim perdoai também vós. Mas, acima de tudo, revesti-vos da caridade, que é o vínculo da perfeição. Triunfe em vossos corações a paz de Cristo, para a qual fostes chamados a fim de formar um único corpo. E sede agradecidos. A palavra de Cristo permaneça entre vós em toda a sua riqueza, de sorte que com toda a sabedoria vos possais instruir e exortar mutuamente. Sob a inspiração da graça cantai a Deus de todo o coração salmos, hinos e cânticos espirituais. Tudo quanto fizerdes, por palavra ou por obra, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai. Tudo o que fizerdes, fazei-o de bom coração, como para o Senhor e não para os homens, certos de que recebereis, como recompensa, a herança das mãos do Senhor. Servi a Cristo, Senhor. Quem cometer injustiça, pagará pelo que fez injustamente; e não haverá distinção de pessoas”. (Col 3,12-17.23-25).

“Senhor, queremos crescer como homens de Deus, queremos viver como um templo de santidade…” (Pe. Sílvio César).

“Paz irmãos, amor e fé, da parte de Deus Pai e do Senhor Jesus Cristo. A graça esteja com todos os que amam nosso Senhor Jesus Cristo com amor inalterável e eterno”. (Ef 6,23-24). Palavra da Salvação. Glória a vós Senhor!

Paz e Bem!

Frei Fernando Maria,OFMConv.

Creative Commons License
FREI FERNANDO, VIDA, FÉ E POESIA by Frei Fernando,OFMConv. is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License.