Tag Archive: esperança


CRÔNICAS DE MINHA ALMA: EXAME DE CONSCIÊNCIA…

Que posso eu querer mais Senhor, se já nos deste tudo? Nos deste a vida em meio a este belíssimo paraíso terrestre; mas não sabemos como vivê-la, mesmo sendo instruídos por Ti; pois te faltamos com a obediência e isso não nos deixa ter adesão perfeita à ti para te seguir fielmente e abraçarmos nossa cruz sem nenhum medo do amanhã. Ainda assim, Senhor, amparados por tua Divina Providência, somos protegidos de tal forma que jamais nos faltas em qualquer situação. Entretanto, não temos ainda plena confiança para crê de verdade que o teu poder não tem fim.

Ó Senhor, nos deste a terra, este paraíso lindo e tudo o que nele há, mas não sabemos como administrá-lo para Ti, porque o administramos a partir dos pecados que cometemos e esses pecados nos têm devorado por dentro, por isso, vivemos sem alento devido à nossa desobediência que é tanta. E mesmo tendo sido reparado o nosso pecado por tua obediência perfeita na cruz, continuamos a negar-te, com o nosso modo de ser e estar não condizente com a filiação divina que nos destes.

O que fazer então, Senhor, para permanecermos em tua presença sob o teu amparo, sem nunca sairmos dela? Isto porque, no pecado só há insegurança, medo, tristeza, dor, angústia, solidão, etc. É por isso que no pecado jamais Te encontramos de fato; a não ser pelo poder do arrependimento sincero, último dom que nos deixaste para obtermos tua misericórdia, teu perdão, que alimenta em nós a esperança da salvação eterna que viestes trazer.

Ó Senhor, tem compaixão de nós! Vem em nosso socorro sem demora, porque os homens debandaram para o lado do mal, e por isso não se suportam e não suportam mais a sã doutrina, porque abandonaram também o teu santo temor Senhor, para se perderem sem rumo em meio às trevas deste mundo, repletos de toda espécie de maldades; e assim seguem os caminhos tortuosos da perversidade que os leva somente à perdição e à morte.

Por fim, aqui estou Senhor, fazendo esse exame de consciência e pedindo tua clemência para essa nossa humanidade aparentemente derrotada pela própria pecaminosidade. Estamos nas últimas e ao que parece muitos não estão percebendo ou quem sabe ignorando ou fingindo, pois continuam a te afrontar e ofender com vão discursos e praticas abjetas; e desse modo vão afundando cada vez mais no lamaçal das drogas, da violência, da corrupção, da impureza sexual e tantos outros comportamentos horríveis que não vale a pena mencionar.

Por isso, é bom te ouvir Senhor, para não desanimarmos e com isso nos afastarmos de ti; pois, “ante o progresso crescente da iniquidade, a caridade de muitos esfriará. Entretanto, aquele que perseverar até o fim será salvo”. (Mt 24,12-13). De fato, e para perseverarmos até o fim, temos o maior tesouro que o Pai nos deu, o teu Corpo e Sangue, tua Alma e Divindade, realidade que transpõe a nossa natureza, a ponto de não entendemos tamanha predileção de amor, por quem não se dá merecer o que por graça nos concedestes. Pois tu mesmo disseste: “Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo”. (Mt 28,20b). E assim temos a certeza que não estamos sozinhos.

Destarte, faço minhas as palavras de São Columbano: “Suplico tenhas a condescendência de te mostrares, amado Salvador, a nós que batemos à tua porta para que, conhecendo-te, só a ti amemos, só a ti desejemos, só em ti meditemos dia e noite, sempre pensemos em ti. Inspira em nós tanto amor por ti quanto é justo que sejas, ó Deus, amado e querido. Teu amor invada todo o nosso íntimo, teu amor nos possua por inteiro, tua caridade penetre em nossos sentidos todos. Deste modo, não saibamos amar coisa alguma fora de ti, que és eterno. Uma caridade tamanha que nem as muitas águas do céu, da terra e do mar jamais a possam extinguir em nós, conforme a palavra: E as muitas águas não puderam extinguir o amor (cf. Ct 8,7). Que tudo se realize em nós, ao menos em parte, por teu dom, Senhor nosso, Jesus Cristo, a quem a glória pelos séculos. Amém”. (*).

(*) (Instr.Decompunctione,12,2-3:Opera,Dublin1957,pp.112-114)

Paz e Bem!

Frei Fernando,OFMConv.

FREI FERNANDO, VIDA, FÉ E POESIA by Frei Fernando,OFMConv. is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License.

Anúncios

CRÔNICAS DE MINHA ALMA

SÓ POR TUA GRAÇA, SENHOR…

É assim que ora vivo, sintonizado, inebriado, consagrado, perdido no mar sem fundo do teu Amor e da Verdade que És e com a qual me criastes para te testemunhar, meu Senhor e meu Deus. Recebe, pois o que sou e transforma-me no que queres que eu seja. Assim poderei viver mais intensamente a vocação à qual nos chamastes, a santidade de pensamentos e ações, e de toda vida. Por isso, guarda-me, Senhor, no mais íntimo do teu coração, conduz-me com tua santa mão que me acalenta e me faz sentir-me seguro em meio as provações deste mundo, que são tantas.

De fato, há em mim uma necessidade de “orar sem cessar”, de ter um convívio permanente com Deus, uma espécie de desejo ardente do céu. Por isso, não sei mais viver neste mundo sem a oração, sem a comunhão do coração com o Senhor; o Pai Nosso, como nos ensinou Jesus; o Eterno, Todo Poderoso e Misericordioso Deus. Sem Deus não há felicidade neste mundo; aliás, nenhuma criatura pode dizer que é feliz por si mesma, porque enquanto houver dependência de nossa parte, a felicidade é só um sonho a ser alcançado. E aqui todos nós sabemos que dependemos sempre, todavia, quando buscamos nossa liberdade em Deus, a encontramos prontamente, porque não há prazer, satisfação, integridade, felicidade, que Deus não nos possa dar ao infinito.

Ora, quem vive a vida em Deus assim, compreende perfeitamente o que Jesus ensinou: “Portanto, eis que vos digo: não vos preocupeis por vossa vida, pelo que comereis, nem por vosso corpo, pelo que vestireis. A vida não é mais do que o alimento e o corpo não é mais que as vestes? Olhai as aves do céu: não semeiam nem ceifam, nem recolhem nos celeiros e vosso Pai celeste as alimenta. Não valeis vós muito mais que elas? Qual de vós, por mais que se esforce, pode acrescentar um só côvado à duração de sua vida? Portanto, Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça e todas estas coisas vos serão dadas em acréscimo. Não vos preocupeis, pois, com o dia de amanhã: o dia de amanhã terá as suas preocupações próprias. A cada dia basta o seu cuidado”. (Mt 6,25-27.33-34).

Assim, vejo que a maior de todas as necessidades humanas é Deus. Nele, com Ele e para Ele deve ser tudo o que vivemos e empreendemos, caso contrário, estaremos sempre inseguros, imaturos, confusos e com medo das perdas que naturalmente se nos apresentam as circunstâncias desta vida. Porque só a vontade de Deus é a que permanece e que faz permanecer com ela, aqui e por toda a eternidade, aqueles que a cumprem fielmente.

Então, Senhor, com a Virgem Santíssima, tua e nossa mãe, dizemos: “Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra”. (Lc 1,38).

Paz e Bem!

Frei Fernando,OFMConv.

FREI FERNANDO, VIDA, FÉ E POESIA by Frei Fernando,OFMConv. is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License.

CRÔNICAS DE MINHHA ALMA

AMO-TE, SENHOR, E INFINITAMENTE QUERO TE AMAR…

O Amor. O que é o Amor? “O Amor é Deus, e quem permanece no Amor permanece em Deus e Deus permanece nele”. (1Jo 4,16); percebe tudo pela ótica divina do amor que ama, concebe tudo a partir do amor que ama, isto é, agora tudo é como o amor, eterno. Ou seja, cada pensamento, cada desejo, cada vontade, cada sentimento, advindo desse Sublime Amor, é inesgotável, é verdade que perdura sempre, porque o amor de Deus é assim. Quanta segurança em amar assim, em ser amado assim, em viver assim; em vê tudo assim, numa inesgotável sensação permanente, inexplicável pelas palavras, mas profundamente experimentado no âmago do Ser. Porque amar a Deus é viver; não amá-lo é morrer…

Senhor, por que não te amar? Por que não se deixar amar por Ti? Por que não se entregar inteiramente à Ti? Haverá alguma razão de ser, para não querer amar à medida infinita do teu Amor? Oh! Senhor, será que é por isso que o egoísmo não tem explicação racional convincente? Porque, por mais que se queira explicar, ele é só egoísmo, nada mais, além disso… Creio que ele seja o cume de toda maldade, a pior de todas as solidões, de todas as prisões, porque é absolutismo do eu, é a totalmente contrária ao teu Amor.

Meu Deus! Só em pensar nisso, me dá calafrios, pois vejo a extensão de todas as maldades que o egoísmo causa; de todas as tragédias passadas e presentes; é por isso que o demônio é o que é, extremamente egoísta, maléfico, perverso, danoso em todos os sentidos; capaz de incitar somente instintos egoístas e soberbos com que desprezou o amor de Deus, para se afundar na lama da própria maldade que exala em tudo o que é e faz. Por isso, vive nas trevas e não pode se aproximar nunca de Tua Luz, porque Tua Luz, Senhor, é Amor que brilha sobre todos os Te amam e Te obedecem submissamente; Tua Luz brilha Senhor, mais que o sol e mais que toda a extensão do universo que criastes.

Sabemos que um dia esse nosso mundo e toda criação será totalmente passado a limpo, porque Deus é Santo e tudo criou para a santidade. Por isso, no Seu Infinito Amor, enviou como nosso Redentor o Seu Filho, Jesus Cristo, para que tivéssemos acesso à sua misericórdia que nos perdoa e nos salva. Como escreveu São Paulo:

Sabemos ainda que haverá um julgamento para todos e ele já começou: “Ora, este é o julgamento: a luz veio ao mundo, mas os homens amaram mais as trevas do que a luz, pois as suas obras eram más. Porquanto todo aquele que faz o mal odeia a luz e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas. Mas aquele que pratica a verdade, vem para a luz. Torna-se assim claro que as suas obras são feitas em Deus”. (Jo 3,19-21).

De fato, o amor ama sempre, mas quem o acolhe para transbordá-lo com sua própria vida? Quem responde à altura do amor com que somos amados por Deus? O que temos cultivado com nossa existência? Será que o nosso modo de viver tem correspondido à Vontade de Deus? Fomos Criados como expressões do amor de Deus, para amarmos a Deus acima de todas as coisas e amar-nos uns ao outros na medida do mesmo amor; mas, o que temos visto no seio da humanidade? Violência, dor, sofrimentos, tristezas e toda espécie de morbidez infernal.

Nem por isso desista do amor, porque somente quem ama consegue vencer o mal que está no mundo. Pois, eis o que nos ensina São João: “Não ameis o mundo nem as coisas do mundo. Se alguém ama o mundo, não está nele o amor do Pai. Porque tudo o que há no mundo – a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida – não procede do Pai, mas do mundo. O mundo passa com as suas concupiscências, mas quem cumpre a vontade de Deus permanece eternamente. Nisto é perfeito em nós o amor: que tenhamos confiança no dia do julgamento, pois, como ele é, assim também nós o somos neste mundo. No amor não há temor. Antes, o perfeito amor lança fora o temor, porque o temor envolve castigo, e quem teme não é perfeito no amor. Mas amamos, porque Deus nos amou primeiro”. (1Jo 2,15-17; 4,17-19).

Paz e Bem!

Frei Fernando,OFMConv.

FREI FERNANDO, VIDA, FÉ E POESIA by Frei Fernando,OFMConv. is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License.

CRÔNICAS DE MINHA ALMA: SIM, SENHOR, EU ESPERO…

Senhor, nada tenho, porque tudo o tenho um dia não terei mais, até mesmo o que sou agora, sinto que só o sou por causa de tua misericórdia. Portanto, não posso e não quero abusar da aparente liberdade momentânea que tenho, para práticas fúteis ou outras “façanhas” malfadadas que tanto tem tirado definitivamente a vida de milhares e milhões. Aliás, São Paulo já nos havia alertado sobre isto: “Não vos enganeis: de Deus não se zomba. O que o homem semeia, isso mesmo colherá. Quem semeia na carne, da carne colherá a corrupção; quem semeia no Espírito, do Espírito colherá a vida eterna”. (Gl 6,7-8).

Todos nós primamos por segurança, no entanto, no mais das vezes, nos expomos aos piores perigos porque nos afastamos de Ti, Senhor, pelos pecados praticados. Ainda assim, muitos se acham donos da vida como se a vida fosse propriedade permanente de qualquer criatura, ou seja, como se não a tivéssemos recebido. Ora, mas isto não passa de autossuficiência, arrogância ou um blefe barato, porque se temos o que iremos perder naturalmente, como se achar acima desta perda? Na verdade, não podemos esquecer, só Deus tem todo poder infinitamente, e isto fica evidente por sua Providência Divina que a tudo sustenta e governa, a despeito dos incrédulos, indiferentes e maléficos negarem essa verdade.

O ser humano foi criado para o bem infinito, e quando não vivemos esse desígnio do criador a nosso respeito, a vida perde todo sentido de ser e os homens passam a viver apenas em função da temporalidade à espera da morte e nada mais. Todavia, no âmago de todos nós existe um desejo como que permanente de vida, por isso, a morte, quando não a encaramos com naturalidade, torna-se uma espécie de companhia indesejada, a tal ponto que nem queremos pensar nela, mesmo convivendo pacificamente com ela a todo momento.

Então, haverá solução para essa condição de nossa brevidade existencial? Sim, pois o Filho de Deus, Jesus Cristo, pôs fim à tragédia do pecado, ao reinado das trevas e ao poder da morte. Escutemos o Senhor: “Não se perturbe o vosso coração. Credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Não fora assim, e eu vos teria dito; pois vou preparar-vos um lugar. Depois de ir e vos preparar um lugar, voltarei e tomar-vos-ei comigo, para que, onde eu estou, também vós estejais. E vós conheceis o caminho para ir aonde vou. Disse-lhe Tomé: Senhor, não sabemos para onde vais. Como podemos conhecer o caminho? Jesus lhe respondeu: Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim”. (Jo 14,1-6).

Assim, ouvindo o Senhor, digo: sem essa esperança, não há salvação, não há solução alguma para a vida. Pois o ser humano sem a esperança da ressurreição é o mesmo que um cadáver ambulante, existe, mas só por enquanto. Daí, Senhor a necessidade de te amar, de te querer, de ti glorificar, de te dar tudo o que sou, sinto e vivo neste mundo, como resposta por me teres criado para o louvor de tua glória. Sim, Senhor, espero em ti a ressurreição dos mortos e a vida do mundo que há de vir, porque já a experimento aqui, por te amar acima de todas as coisas e de mim mesmo, pois, assim como disse São Paulo, o digo também: “Na realidade, pela fé eu morri para a lei, a fim de viver para Deus. Estou pregado à cruz de Cristo. Eu vivo, mas já não sou eu; é Cristo que vive em mim. A minha vida presente, na carne, eu a vivo na fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim”. (Gl 2,19-20).

E qual é a tua resposta, Senhor? “Eu sou o pão da vida: aquele que vem a mim não terá fome, e aquele que crê em mim jamais terá sede. Este é o pão que desceu do céu. Quem come deste pão viverá eternamente”. (Jo 6,35.58ac). “Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que esteja morto, viverá. E todo aquele que vive e crê em mim, jamais morrerá. Crês nisto? Respondeu ela: Sim, Senhor. Eu creio que tu és o Cristo, o Filho de Deus, aquele que devia vir ao mundo.”. (Jo 11,25-27). É por isso que espero em Ti, Senhor, até o meu último instante aqui, onde Te encontrarei face a face, para o devir que preparastes como herança eterna, para todos que te amam e te seguem.

Paz e Bem!

Frei Fernando,OFMConv.