Tag Archive: verdade


jesus na cruz..

A VERDADE NÃO É TEORIA

A verdade não é teoria, porque ela é o fundamento da vida e tem sua origem em Deus e em Deus permanece. Todo ser inteligente ou não, busca sempre a verdade, porque nela encontra segurança, por isso, nada e ninguém permanece sem que a verdade o sustente. Desde o primeiro momento de nossa existência, fazemos parte da eternidade criadora de Deus, pois, em sua Sabedoria criou tudo e em tudo pôs o seu propósito divino, a fim de que participemos de sua glória eterna.

Aqui estamos, é verdade, em nossa naturalidade, mas não sem a proteção divina; a não ser que a dispensemos por nossas práticas pecaminosas, neste caso, afundamos na lama da maldade que cultivamos e a nossa integridade torna-se frágil, porque nos expondo ao mal, não somos capazes de nos defender por nós mesmos. O resultado são as tragédias que constatamos pela desobediência demostrada, pois sempre que pecamos nos desligamos de Deus, porque em Deus não há pecado. Porém, por sua misericórdia, Ele nos acompanha, para que mediante o arrependimento, a confissão e a absolvição dos pecados cometidos, voltemos ao perfeito estado de graça, isto é, à plena comunhão com o Senhor que no Seu amor nos quer sempre felizes sob o seu amparo. (cf. Lc.13,34).

A verdade do Senhor está sempre presente em tudo e em toda parte de sua obra, basta o bom senso para se perceber isto. Seja lá onde for, fazendo o que estivermos fazendo, não podemos nos ocultar dela ou a ocultarmos com nossas maquinações, porque mais cedo ou mais tarde ela virá à tona e revelará o que tentamos esconder nos bastidores de nossa existência (cf. Mt 10,26). Ao falar sobre isto, São Paulo assim se expressou: “A ira de Deus se manifesta do alto do céu contra toda a impiedade e perversidade dos homens, que pela injustiça aprisionam a verdade. Porquanto o que se pode conhecer de Deus eles o leem em si mesmos, pois Deus lho revelou com evidência. Desde a criação do mundo, as perfeições invisíveis de Deus, o seu sempiterno poder e divindade, se tornam visíveis à inteligência, por suas obras; de modo que não se podem escusar”. (Rom 1,18-20).

Não obstante a negativa dos homens em conhecer a verdade e permanecer nela, Deus enviou o Seu Filho, Jesus Cristo, para que por Ele tivéssemos o pleno conhecimento de Sua Presença Pessoal, transparente aos olhos do mundo, e profundamente visível aos olhos (entendimento) dos que creem. “Com efeito, de tal modo Deus amou o mundo, que lhe deu seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. Pois Deus não enviou o Filho ao mundo para condená-lo, mas para que o mundo seja salvo por ele. Quem nele crê não é condenado, mas quem não crê já está condenado; por que não crê no nome do Filho único de Deus. Ora, este é o julgamento: a luz veio ao mundo, mas os homens amaram mais as trevas do que a luz, pois as suas obras eram más. Porquanto todo aquele que faz o mal odeia a luz e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas. Mas aquele que pratica a verdade, vem para a luz. Torna-se assim claro que as suas obras são feitas em Deus”. (Jo 3,16-21).

A respeito da Pessoa de Jesus Cristo, eis o que escreveu São João: ”No princípio era o Verbo, e o Verbo estava junto de Deus e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio junto de Deus. Tudo foi feito por ele, e sem ele nada foi feito. Nele havia a vida, e a vida era a luz dos homens. A luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam. Houve um homem, enviado por Deus, que se chamava João. Este veio como testemunha, para dar testemunho da luz, a fim de que todos cressem por meio dele. Não era ele a luz, mas veio para dar testemunho da luz. [O Verbo] era a verdadeira luz que, vindo ao mundo, ilumina todo homem”.

“Estava no mundo e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o reconheceu. Veio para o que era seu, mas os seus não o receberam. Mas a todos aqueles que o receberam, aos que creem no seu nome, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus, os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas sim de Deus. E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos sua glória, a glória que o Filho único recebe do seu Pai, cheio de graça e de verdade”.

“João dá testemunho dele, e exclama: Eis aquele de quem eu disse: O que vem depois de mim é maior do que eu, porque existia antes de mim. Todos nós recebemos da sua plenitude graça sobre graça. Pois a lei foi dada por Moisés, a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo. Ninguém jamais viu Deus. O Filho único, que está no seio do Pai, foi quem o revelou”. (Jo 1,1-18).

Portanto, a verdade que estamos vivendo é com ela que entraremos na glória de Deus ou não. Pois, como dizia São Francisco de Assis: “Somos o que somos aos olhos de Deus e nada mais”. E se referindo ao nosso devir, assim nos ensinou São Paulo: “Não vos enganeis: de Deus não se zomba. O que o homem semeia, isso mesmo colherá. Quem semeia na carne, da carne colherá a corrupção [e a morte]; quem semeia no Espírito, do Espírito colherá a vida eterna. Não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo colheremos, se não relaxarmos. Por isso, enquanto temos tempo, façamos o bem a todos os homens, mas particularmente aos irmãos na fé”. (Gal 6,7-10).

Paz e Bem!

Frei Fernando Maria,OFMConv.

FREI FERNANDO, VIDA, FÉ E POESIA by Frei Fernando,OFMConv. is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License.

Anúncios

SÉRIE MEDITAÇÕES: O AMOR, A VERDADE E OUTRAS VIRTUDES (CONTINUAÇÃO)…

JUSTIÇA

A Justiça dá a cada ser o que lhe é devido na medida certa…
Por isso, Ela busca sempre a verdade dos fatos, porque esta lhe dá a capacidade de ação para o bem estar de todos…
Repara o mal que de fato houve…
Pune o que devido, liberta o que preciso…
Assim é e sempre será a Justiça…
Destarte, só Deus é Justo, e por seu Filho Jesus Cristo,
Justifica todos os injustiçados… (cf. Mt 5,6)

PIEDADE

A Piedade é a verdade em oração no coração das almas santas…
Uma alma piedosa ama a Deus com profunda reverência…
Clama por sua clemência, e se põe à disposição de sua vontade…
Cresce na intimidade e no fervor, e sabe guardar com amor todas as pérolas divinas que lhes são confiadas, não as atirando aos porcos…
Todavia as multiplica pela oração,
Ornando com a unção divina e salutar as almas mais necessitadas…

A Fé é como um expectorante para a alma,
visto que põe para fora dela toda desconfiança,
firmando-a na esperança que não decepciona….
Isto porque o amor de Deus foi derramado em nossos corações,
pelo Espírito Santo que nos foi dado…(cf. Rom 5,5).
A fé tudo alcança, porque obtém de Deus todo poder,
Por isso, tudo é possível ao que crer…

ESPERANÇA

A Esperança é alma gêmea da fé,
porque tem certeza do que não vê…
Diz o ditado popular: quem espera em Deus nunca cansa,
porque Deus não falha nunca…
A esperança também se chama convicção,
porque quem espera em Deus nunca duvida de suas promessas,
pois sabe que elas são o motivo e o fundamento de sua aliança conosco…

CARIDADE

A Caridade é o amor assistindo as necessidades,
reparando as injustiças e imperfeições dos homens…
Ela por sua vez é assistida pela Providência Divina,
que consola os corações caridosos pelo milagre do bem feito aos mais necessitados…
Ela é como que a mão do Senhor a socorre-nos em seu amor…
Pela caridade somos anjos de resgate…
Apoiando os caídos, assistindo os desvalidos,
libertando os oprimidos que o egoísmo de alguns mutilou…
A caridade nunca passa, até que cheguemos ao céu…
Todavia, não busque nela alguma salvação pessoal,
Pois ninguém é salvo pelas obras…
Porém, convém saber que as boas obras só existem,
porque fomos salvos por Jesus Cristo, o Filho de Deus…

TEMPERANÇA

A Temperança é o equilíbrio perfeito entre os desejos da carne e os do Espírito; isto porque a aspiração da carne é a morte; enquanto a aspiração do Espirito é a vida e a paz; pois a carne (concupiscência) não se submente à Lei de Deus e nem o pode, porque os que vivem segundo a carne rejeitam as graças do Espírito de Deus…

“Portanto, irmãos, não somos devedores da carne, para que vivamos segundo a carne. De fato, se viverdes segundo a carne, haveis de morrer; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras da carne, vivereis, pois todos os que são conduzidos pelo Espírito de Deus são filhos de Deus”. (Rom 8,12-14).

SOBRIEDADE, MODÉSTIA

Em cada área do nosso ser existe a possibilidade do prazer, pois o dom de sentir prazer é um dom que Deus nos deu, e que gera em nós certa satisfação prazerosa, isto é, certa sensação de felicidade. Todavia, é preciso que haja equilíbrio em todos os nossos sentidos para que estas sensações não se transformem em fuga de nós mesmos, dos outros e de Deus; ou mesmo desemboquem nos vícios que levam ao precipício da perca de liberdade, porque toda sensibilidade carnal é passageira e fugaz, quando não equilibrada pela sobriedade.

A Sobriedade é a virtude que Deus nos deixou para não nos afastarmos do seu amor, que é a nossa eterna fonte de felicidade. É ela que nos equilibra e nos conduz à moderação no comer e beber; no pensar e falar; no olhar e sentir; no vestir e se portar. A sobriedade é prima irmã da modéstia, pois esta faz a festa da graça de Deus em nossas almas. (cf. Rom 12,16).

MANSIDÃO

Quem vive cultivando a virtude da Mansidão tem seu coração em Deus, que nos ensina por seu Filho amado, a nunca nos alterarmos em meio aos desequilíbrios dos homens (cf. Mt 11,28-30). Essa virtude vem também acompanhada de uma promessa, os mansos possuirão a terra, indício da posse do céu, terra eterna prometida por Deus aos filhos seus (cf. Mt 5,5; 2Ped 3,11ss).

INOCÊNCIA

A inocência nos torna imunes à todo tipo de perseguição e violência, porque todo inocente é livre e tem na inocência sua maior defesa. Alguém é inocente quando vive a verdade diante de Deus e dos homens, porque o fato de existir naturalmente já é a verdade em si. Todavia, precisamos vive-la com ela é, transparente sempre, como o próprio Deus. Os mais temidos dos homens são os inocentes, porque até mesmo o seu silêncio causa tortura aos seus algozes. Por isso, todo inocente é invencível, pois nem a morte o poderá destruir.

PENITÊNCIA

Jesus começou seu ministério nos ensinando a fazer penitência: “Completou-se o tempo e o Reino de Deus está próximo; fazei penitência e crede no Evangelho”. (Mc 1,15).

Como vimos nesse ensinamento do Senhor, a penitência é o reforço da fé, pois o verdadeiro arrependimento precisa de penitência para que haja verdadeira conversão. Não basta dizer, “creio em Jesus Cristo”; pois, a fé é muito mais do que uma simples afirmação; ela precisa do esforço da alma penitente para se firmar e crescer na graça santificante, e dar os frutos da adesão ao Senhor, por meio da vivência do seu evangelho. Fazer penitência é vencer-se a si mesmo, como nos ensinou São Francisco de Assis, em sua décima Admoestação: “O pior inimigo do homem é ele mesmo, vence-te a ti mesmo e vencerás todos os teus inimigos visíveis e invisíveis”. Porquanto, ajuda-nos Senhor a penitenciar-nos em tua presença, pois sem Ti nada podemos fazer (cf. Jo 15,5).

PRUDÊNCIA

A Prudência é a aliada que perpassa todas as outras virtudes…
Por ela ninguém erra…
Por ela evita-se a dúvida atroz e o desengano…
Porque a Prudência nos faz atentos, nos dá alento para decidirmos somente pela vontade de Deus…
Desse modo, Ela é o discernimento perfeito e a razão de ser do equilíbrio de todas as outras virtudes em nossa vida…

COERÊNCIA

A Coerência é a autêntica vivência da fé, é ela a despenseira de todas as graças, para darmos os frutos de santidade que o Senhor nos concede na Santa Comunhão. Ela é o motivo de sermos recebidos e atendidos diante de Deus. Por ela somos livres desde já de todo julgamento diante do tribunal do Senhor.

É a Coerência que ilumina nossas almas com a luz que nunca se apaga e por isso, se torna nosso escudo de proteção para todos que a vivem. Ela põe por terra toda falsidade, porque faz valer a verdade e a autoridade divina em nossa vida. Foi pela virtude da coerência que Natanael foi identificado por Jesus e recebeu dele o mais belo elogio entre os apóstolos, e uma especial revelação do Senhor. (cf. Jo1,43-51).

O QUE DIZER AINDA MAIS A RESPEITO DAS VIRTUDES?

Todas as virtudes com que Deus nos criou…
Foram-nos concedidas para permanecermos fieis ao seu amor,
E gozarmos da liberdade infinita em sua Presença bendita…
Por isso, abusar da misericórdia e da bondade divinas…
É deixar de viver no santo temor…
É perder-se na agonia e na dor de não amar o Senhor,
e não se deixar amar por Ele eternamente…

Paz e Bem!

Frei Fernando,OFMConv.

SÉRIE MEDITAÇÕES

O AMOR, A VERDADE E OUTRAS VIRTUDES…

Perguntei a uma criança da catequese, o que é virtude? Ela me respondeu bem de mansinho: virtude é uma qualidade boa, frei… Nossa! Como eu fiquei feliz com essa resposta, pois percebi que o Espírito Santo fala com as crianças e por meio delas… Então, meditemos sobre algumas dessas virtudes das quais fomos dotados por Deus…

AMOR

O Amor é o fundamento de todos os dons que Deus nos deu…
A maior de todas as virtudes é amar,
amar a Deus acima de todas as coisas
e amar aqueles que Deus nos dar para amar…
Entretanto, basta a raiva, o ódio, o ressentimento…
Para macular esse precioso presente que Deus nos deu…
Portanto, o maior dom de cura é o perdão, por ele o amor permanece sempre…

VERDADE

A Verdade está dentro de todo ser humano e presente em tudo que existe…
Mesmo que alguém minta, tem consciência dela,
e sabe que a está traindo…
Então, não faça da mentira seu ofício,
porque ela será a causa de sua ruína…
Pois a mentira é como uma areia movediça,
quanto mais alguém se move nela, mais afunda e se perde…

OBEDIÊNCIA

A Obediência é a ciência daqueles que se tornam capazes de dar a própria vida, para não desorganizar o que a Sabedoria de Deus organizou…
Por isso, todo ser obediente é também humilde, porque não faz valer seus interesses pessoas, mas sim os interesses dos demais em vista dos santos interesses de Deus…
Todo ser obediente serve sempre, porque não faz a própria vontade, mas somente a vontade de Deus…

PUREZA

A Pureza de coração nos leva à visão de Deus…
“Bem aventurados os puros de coração, porque eles verão a Deus”.
Ora, todos nós sabemos disso…
Mas por que todos não a praticam?
Por causa do imediatismo da impureza,
que faz a carne experimentar o que a alma rejeita…
E porque a alma rejeita?
Porque a impureza leva ao precipício do egoísmo…
Mesmo assim milhares e milhões caem nas chantagens psíquicas dos egoístas de plantão e se tornam também escravos do imediatismo…

FIDELIDADE

À Fidelidade se contrapõe a traição ou infidelidade…
Traço da terrível maldade de Judas contra Jesus…
O fato é que todo traidor só morre na desgraça…
A não ser que se arrependa,
peça perdão e repare sua maldade…
Caso contrário, jamais se salvará…

BONDADE

A Bondade se contrapõe à todo tipo de maldade que se comete na face da terra…
E todos temos a virtude da bondade no mais íntimo de nós, mas quantos a cultivam?
É por falta do cultivo da bondade que a perversidade tem se alastrado como peste maligna em todos os campos da vida…

HONESTIDADE

A Honestidade põe por terra a ganância, a corrupção e seus derivados, chamados falcatrua, estelionatários, corruptores e corrompidos…
A honestidade é a maior prova de nossa inocência…
E quem tem a consciência limpa, não precisar provar nada…
Estes já receberam de Deus a liberdade eterna…

GENEROSIDADE

A Generosidade é irmã da solidariedade,
esposa e mãe de todo bem que há…
Liberta dos apegos e dos medos das percas materiais…
Liberta da avareza, vileza que leva muitos à idolatria do dinheiro…
Uma alma generosa é rica em satisfação,
porque é alento para os necessitados
e porta aberta da salvação…

SIMPLICIDADE

A simplicidade descomplica tudo…
Não faz de um pingo uma tempestade,
Visto que nunca se liga na maldade de quem quer que seja…
Os simples de coração são os humildes que Deus pôs neste mundo para derrotar o cão imundo da soberba…

POR ENQUANTO FIQUEMOS ASSIM, LOGO, LOGO TEM MAIS…

Todas estas são virtudes presentes em todos nós…
Nelas encontramos a Deus e com ele convivemos…
Elas são vias de perfeição com as quais Deus nos ornou…
Por elas Ele nos comunica sua santidade,
por meio de seu Filho amado, Jesus Cristo,
caminho, verdade e vida de todos os que se exercitam pela via de sua redenção…

Paz e Bem!

Frei Fernando,OFMConv. 

FREI FERNANDO, VIDA, FÉ E POESIA by Frei Fernando,OFMConv. is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License.

CRÔNICAS DE MINHA ALMA: TUA PALAVRA, SENHOR, É ALIMENTO PARA A ALMA…

A verdade a tudo sustenta porque tudo tem sua origem nela; mas sem ela nada se sustenta, porque tudo o que há, não o é por si mesmo e em si mesmo; mas depende cem por cento para ser o que é, porque sem a verdade tudo é apenas contingência determinada. A verdade tudo governa, mesmo quando o livre arbítrio do homem diz que não; isto porque, não há rio sem fonte como não há vida sem quem a dê e a sustente; porque tudo o que não é alimentado pela Fonte Eterna da Sabedoria de Deus, definha até não mais ser.

Aparentemente a verdade é frágil, simples, humilde, é por isso que ela é acessível a tudo e a todos, porque quando todos a vivem há um equilíbrio harmonioso substancial em escala infinita a nos conduzir para além do que temos, podemos, ou entendemos ser por nós mesmos. Assim é a verdade em seu modo de ser, em seu querer e agir para tudo e para todos, porque nada lhe passa despercebido nem mesmo o mais ínfimo respiro. Quanto à nós, em tudo o que vemos e conhecemos naturalmente ou não, só o vemos e conhecemos porque a verdade que está sempre presente, nos dar a ver e conhecer, a agir e conviver, a nos comprometer ou não com o que é diante de nos.

A verdade não só convence pelo que apresenta, mas pelo que ela é. Porque a verdade é permanente e está sempre presente em tudo o que existe e tudo só existe porque a verdade é infinita. No entanto, em meio a tudo o que existe, a mentira persiste em negar o que a verdade é, mesmo sabendo, mas não admitindo, que nunca poderá vencer, visto que a mentira é só embuste em si mesma; na verdade, ela é o cúmulo do egoísmo, o próprio inferno pútrido, nada mais.

Não existe verdades, mas a Verdade. Ela se faz presente em todas as coisas sem ser todas as coisas, porque está acima de todas as coisas. Entretanto, Ela se dá a conhecer a quem a ama acima de todas as coisas. A quem nela crê e se deixa conduzir por Ela, nasce de novo para a vida eterna. Ora, estes não se prendem às coisas passageiras, mas apenas delas usufrui para o bem de todos; porque tudo o que existe só existe em função do devir. Assim, o tempo existe em função da eternidade; as coisas materiais existem em função das coisas eternas; a vida humana existe em função da vida divina, etc. Porque se não fora assim, tudo o que existe de nada adiantaria, visto que aqui tudo tem fim; menos os valores eternos.

Então, quem é a Verdade? A Verdade é Jesus Cristo, o Filho de Deus, “manso e humilde de coração”; espetado vivo numa cruz, morto e ressuscitado. Porta estreita da Salvação, Único nome por quem os homens são salvos. “O Cordeiro de Deus Imaculado que tira o pecado do mundo”. O único que venceu e nos deu vencer com Ele, o pecado, o demônio, a morte e o inferno. O único que disse: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim” (Jo14,6); “Quem me vê, vê o Pai, Eu e o Pai somos Um” (cf. Jo 14,8-11; 10,30); “Ninguém pode vir a mim se o Pai, que me enviou, não o atrair; e eu hei de ressuscitá-lo no último dia” (Jo 6,44); “Eu sou o pão da vida. Quem comer deste pão viverá eternamente”. (Jo 6,48.51b). Aquele que está conosco até a consumação dos séculos… E que virá para julgar os vivos e os mortos e o Seu Reino não terá fim… Quem é justo diga sim e permaneça praticando a justiça; quem não é justo, converta-se, pois ainda é tempo de conversão.

Paz e Bem!

Frei Fernando,OFMConv.

FREI FERNANDO, VIDA, FÉ E POESIA by Frei Fernando,OFMConv. is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License.

CRÔNICAS DE MINHA ALMA: A ÚNICA VERDADE, O REINO DE DEUS E SUA JUSTIÇA…

Nada do que conhecemos deixa de ser revelação, porque tudo o que conhecemos, quando muito, o fazemos só exteriormente e nunca essencialmente, isto é, só conhecemos a nós mesmos e as outras criaturas de fora para dentro e nunca de dentro para fora, porque a essência do ser só a Deus pertence conhecer e mais ninguém; a não ser àquele a quem Ele o queira revelar em parte, mas não plenamente (cf. 2Cor 12,2-4); é por isso, que tudo continua um grande mistério, especialmente o conhecimento da Essência de Deus.

Ora, só existe Deus e Sua criação, nada mais. E, dentro de Sua criação, o que Ele quiser revelar Dele mesmo ou de Sua criação. Tudo fora de Deus é conhecimento meramente externo, nada essencial, porque sem Deus nada podemos (cf. Jo 15,5). Para nós seres humanos o essencial é conhecer a Deus pelo amor, e amando-o, conhecer sua obra à medida que Ele no-la revele. A nós, porém, foi dado o conhecimento da verdade tal qual ela nos foi revelada por Deus mesmo, quer na visibilidade do que vemos materialmente (cf. Rom 1,20); quer na invisibilidade da fé (cf. Jo 1,12-13), isto é, espiritualmente, pela aceitação da Verdade divina revelada nas Sagradas Escrituras.

Desse modo, pelo conhecimento e aceitação das verdades da fé, que experimentamos em nós mesmos, pois são atos de amor a Deus acima de todas as coisas, acreditamos firmemente que Deus tudo criou por amor para o nosso bem e para o louvor de sua glória, isto porque detectamos a bondade e o amor do Senhor em toda a extensão de sua obra. Não obstante o pecado do homem que traz a indiferença e a ignorância, quanto à presença real de Deus neste mundo; o Senhor nunca deixou de se revelar, mesmo ante a invisibilidade de Sua Pessoa divina.

Conforme escreveu São Paulo na Carta aos Gálatas: “Chegada à plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, que nasceu de uma mulher e nasceu submetido a uma lei, a fim de remir os que estavam sob a lei, para que recebêssemos a sua adoção”. (Gl 4,4-5). Já na Carta aos Hebreus, lemos: “Muitas vezes e de diversos modos outrora falou Deus aos nossos pais pelos profetas. Ultimamente nos falou por seu Filho, que constituiu herdeiro universal, pelo qual criou todas as coisas. Esplendor da glória (de Deus) e imagem do seu ser, sustenta o universo com o poder da sua palavra. Depois de ter realizado a purificação dos pecados, está sentado à direita da Majestade no mais alto dos céus, tão superior aos anjos quanto excede o deles o nome que herdou”. (Hb 1,1-4).

Assim, Deus se fez presente fisicamente neste mundo por meio do Seu Filho, Jesus Cristo (cf. Lc 1,26-35). E para conhecermos mais profundamente essa verdade, São João, escreveu: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava junto de Deus e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio junto de Deus. Tudo foi feito por ele, e sem ele nada foi feito. Nele havia a vida, e a vida era a luz dos homens. A luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam. Houve um homem, enviado por Deus, que se chamava João. Este veio como testemunha, para dar testemunho da luz, a fim de que todos cressem por meio dele. Não era ele a luz, mas veio para dar testemunho da luz. [O Verbo] era a verdadeira luz que, vindo ao mundo, ilumina todo homem. Estava no mundo e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o reconheceu. Veio para o que era seu, mas os seus não o receberam. Mas a todos aqueles que o receberam, aos que creem no seu nome, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus, os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas sim de Deus”. (Jo 1,1-14).

Por isso, como lemos no Evangelho de São João (cf. Jo 3,1-15), é preciso nascer na ordem da graça pela fé para a vida eterna; trata-se do Sacramento do Batismo que recebem os filhos e filhas de Deus (cf. Mt 28,19-20). Pois, só a vida natural não nos basta, porque, na verdade, temos anseio de eternidade, uma vez que caminhamos para ela a cada instante de nosso viver aqui na terra. Daí, estarmos em movimento contínuo em direção ao Senhor de toda a criação, quer acreditem os homens nessa verdade ou não, esse movimento é irreversível.

Portanto, Jesus Cristo, o Filho de Deus veio a este mundo para revelar quem Deus é – Criador de todas as coisas visíveis e invisíveis, Autor e consumador de nossa fé que sustenta e governa todas as coisas por meio de sua Divina Providência (cf. Gn 1 – 2). Como Deus age – Por ser infinitamente amor, Deus só age por amor, mesmo se não for acreditado, mesmo se não for amado (cf. 1Jo 4,7-16). E como chegarmos à Plenitude de Deus – Somente por Ele, que é o Caminho, a Verdade e a Vida (Jo 14,1-6) e o verdadeiro alimento de nossa salvação (cf. Jo 6,53-58).

Por fim, eis a última verdade: “Cristo ressuscitou dentre os mortos, como primícias dos que morreram! Com efeito, se por um homem veio a morte, por um homem vem a ressurreição dos mortos. Assim como em Adão todos morrem, assim em Cristo todos reviverão. Cada qual, porém, em sua ordem: como primícias, Cristo; em seguida, os que forem de Cristo, na ocasião de sua vinda. Depois, virá o fim, quando entregar o Reino a Deus, ao Pai, depois de haver destruído todo principado, toda potestade e toda dominação. Porque é necessário que ele reine, até que ponha todos os inimigos debaixo de seus pés. O último inimigo a derrotar será a morte, porque Deus sujeitou tudo debaixo dos seus pés. Mas, quando ele disser que tudo lhe está sujeito, claro é que se excetua aquele que lhe sujeitou todas as coisas. E, quando tudo lhe estiver sujeito, então também o próprio Filho renderá homenagem àquele que lhe sujeitou todas as coisas, a fim de que Deus seja tudo em todos”. (1Cor 15,20b-28).

“Então o que está assentado no trono disse: Eis que eu renovo todas as coisas. Disse ainda: Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras. Novamente me disse: Está pronto! Eu sou o Alfa e o Ômega, o Começo e o Fim. A quem tem sede eu darei gratuitamente de beber da fonte da água viva. O vencedor herdará tudo isso; e eu serei seu Deus, e ele será meu filho. Os tíbios, os infiéis, os depravados, os homicidas, os impuros, os maléficos, os idólatras e todos os mentirosos terão como quinhão o tanque ardente de fogo e enxofre, a segunda morte”. (Ap 21,5-8).

“Vi, então, um novo céu e uma nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra desapareceram e o mar já não existia. Eu vi descer do céu, de junto de Deus, a Cidade Santa, a nova Jerusalém, como uma esposa ornada para o esposo. Ao mesmo tempo, ouvi do trono uma grande voz que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens. Habitará com eles e serão o seu povo, e Deus mesmo estará com eles. Enxugará toda lágrima de seus olhos e já não haverá morte, nem luto, nem grito, nem dor, porque passou a primeira condição”. (Ap 21,1-4).

“Aquele que atesta estas coisas diz: Sim! Eu venho depressa! Amém. Vem, Senhor Jesus! A graça do Senhor Jesus esteja com todos”. (Ap 22,20-21).

Paz e Bem!

Frei Fernando,OFMConv.